19/01/2014

Surto de Falsa Medideira Controlado com NOCTOVI

 

Anunciadas como as pragas vilãs da soja capazes de acabar com a lavoura os agricultores focaram todo seu arsenal de pesticidas no combate da Helicoverpa armigera e da ferrugem. Para a ferrugem os produtores já tem larga experiência pois é doença velha conhecida. Já para a nova praga invasora, a Helicoverpa, pouco se sabia mas muito foi aprendido e o resultado do controle parece estar sendo satisfatório, a ponto de hoje não assustar tanto quando na safra passada e no início da dessa safra. Porém as chuvas fortes e a umidade por um lado e a falta de fornecimento de defensivos por outro deram lugar a forte incidência da lagarta falsa medideira – Pseudoplusia includens.

Nesta terça-feira a  Associação dos Produtores de Soja e Milho do Mato Grosso - APROSOJA – divulgou alerta sobre ataque da falsa medideira nas lavouras do estado. O ataque aconteceu no sul, oeste e norte do estado de forma generalizada. Os mesmos relatos de ataque forte da praga foram ouvidos por produtores de soja do Rio Grande do Sul e Santa Catariana.

Nesta mesma época o ano passado a Embrapa alertava para o ataque da falsa medideira. Apesar de ser uma praga secundária e que se mantém sob controle pela ação dos inimigos naturais as altas temperaturas e umidade excessiva tendem a provocar surtos da praga.

Este ano em muitas regiões produtoras as condições ideais para a proliferação da falsa medideira se repetiram, porém os produtores estavam focados no controle das outras duas pragas. Alertados por notícias ruidosas os produtores estavam especialmente atentos ao controle da Helicoverpa e da ferrugem da soja, enquanto outras pragas oportunistas prosperaram. 

Desde antes do surgimento da Helicoverpa no cenário agrícola brasileiro, a assessoria técnica alerta para a necessidade da adoção de técnicas de Manejo Integrado de Pragas – MIP – que consistem em considerar no manejo de medidas de controle todo o complexo de pragas da cultura. Já na safra de 2012/2013 na Bahia, onde a Helicoverpa causou grandes danos, inúmeros relatos de gravíssimos ataques de bicudo no algodão resultante do excesso de zelo contra a Helicoverpa ao mesmo tempo em que se descuidou-se com o manejo do bicudo.

Em Santa Catarina, na região de Fraiburgo, varias lavouras tiveram forte ataque de falsa medideira, relata o Agr. Rafael Borges, mas o monitoramento com armadilhas com atrativos alimentares e aplicação de pulverizações de atrai-e-mata contra os adultos da praga controlaram esta mariposa. Um dos problemas no controle da falsa-medideira é que ela, assim como a Helicoverpa, habita o terço inferior da planta. As aplicações de inseticida convencionais geralmente não penetram na porcao inferior da copa tornando difícil o controle dessas pragas.

“Já alguns anos adotamos métodos de MIP, por isso quando houve o ataque da falsa medideira pudemos verificar a presença das mariposas em armadilhas de monitoramento e então partimos a adotar estratégias para o combate de adultos antes que as lagartas começassem a causar danos mais graves” relata o Agr. Rafael Borges. Os produtores usaram o atrativo alimentar NOCTOVI da ISCA Tecnologias misturado com doses baixas de inseticida para tirar a mariposa de seu habitat e se alimentar da mistura com inseticida. O NOCTOVI é um atrativo alimentar com alto poder fagoestimulante para essas mariposas, que uma vez misturado ao inseticida torna-se um atrai mata extremamente eficiente.  Segundo Agr. Rafael Borges “nos aplicamos NOCTOVI em faixas estreitas continuas a cada 100 metros de lavoura, e na manha seguinte o chão esta forrado de mariposas mortas.”   Ao matar a fase adulta (mariposas) quebra-se o  ciclo de vida das pragas, as mariposas nao colocam ovos nas plantas, evitando, portanto, novas lagartas, o que faz com que a população da praga existente na lavoura colapse na geração seguinte.